O que é Psicologia?

É uma formação superior, na qual o profissional estuda os processos mentais [sensação, emoção, percepção, aprendizagem, inteligência, etc] e o comportamento do ser humano. O psicólogo é aquele capaz de realizar psicoterapia e orientações, facilitar o meio no qual vive o indivíduo que sofre, melhorando, assim, a sua qualidade de vida, suas interações com o meio e a percepção sobre si mesmo.

O que é Psicanálise?

É um método terapêutico criado pelo médico neurologista austríaco Sigmund Freud, que envolve os princípios de transferência e resistência, consistindo na observação de fatores, usualmente, inconscientes, que influenciam, direta ou indiretamente, sentimentos e comportamentos. É uma pós-graduação, na qual o psicanalista pode ter formação em diferentes áreas de ensino superior; muitas vezes o médico psiquiatra complementa a sua formação com a psicanálise.

O psicanalista orienta na organização dos conteúdos inconscientes, aprimorando, corrigindo, rejeitando e adicionando mais pensamentos e sentimentos, de forma que modifiquem comportamentos prejudiciais e afaste sintomas incapacitantes.

O que é Psiquiatria?

“Psiquiatria” – do grego “a arte de curar a alma” – é a especialidade médica que lida com as diferentes formas de sofrimentos mentais, sejam elas leves ou graves, orgânicas ou não orgânicas, reconhecidas ou não pelo enfermo, que podem não somente ter manifestações psicológicas, como físicas.
O médico psiquiatra é aquele que chega ao centro do transtorno por meio de uma anamnese [história] completa, detalhada, e seu conhecimento e capacidade de discernir e compreender o que se passa àquele que diante de si sofre.
Não é apenas o direito de prescrever medicações, mas, sim, a sensibilidade para com aquele que sofre e procura a sua ajuda.
Não se lança mão de exames para diagnóstico psiquiátrico; apenas por meio de palavras, atitudes, olhares, tons e comportamento, que o psiquiatra deve ser capaz de chegar ao cerne da questão e tratar devidamente do seu paciente. Exames são usados com fins puramente para diagnósticos diferenciais com doenças orgânicas.
O psiquiatra, diferentemente do psicólogo e do psicanalista, é médico, realiza diagnósticos de transtornos e prescreve medicações.
A psiquiatria, em grande parte das situações, necessita de acompanhamento psicológico ou psicanalítico concomitante ao seu tratamento. Este não é realizado, apenas, por meio de medicações, mas, sim, em um conjunto de abordagens: o psicológico do paciente, o enfoque em suas atitudes, sentimentos e pensamentos sobre si mesmo e o mundo que o rodeia.
As medicações, lembremos, jamais serão “pílulas da felicidade” ou “pílulas mágicas”; estas permitem a abertura de uma porta, contudo por ela teremos de passar com o nosso próprio esforço.